PUBLICIDADE

QUEBRA

sábado, 26 de agosto de 2017

Romanos 6:23 - Porque o salário do pecado é a morte

title
Romanos 6:23 - Porque o salário do pecado é a morte

Precisamos aceitar a verdade de que somos pecadores vivendo como escravos do pecado e de que necessitamos da graça de Deus para nos livrar dessa miserável condição.

"Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós." (1 João 1:8)
O verso acima nos ensina que, se não reconhecemos nossa condição de pecadores, estamos enganando a nós mesmos e a verdade não está em nós.

"Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça." (1 João 1:9)

Este outro verso nos ensina como nossa vida de escravos do pecado pode ser mudada. Se confessarmos nossos pecados, Deus é "fiel e justo para nos perdoar os pecados" e ainda mais, Ele também irá nos "purificar de toda injustiça." O Senhor nos oferece mais que o perdão, Ele nos oferece também a purificação mediante o sangue de Jesus. Louvado seja o Senhor!

"Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemos mentiroso, e a sua palavra não está em nós." (1° João 1:10)
Infelizmente, algumas pessoas têm usado 1ª João 1:8 e 1ª João 1:10 como argumento para justificarem o fato de não acreditarem na possibilidade do homem no poder de Deus passar a viver livre do pecado. Estes versos não estão afirmando ser impossível a libertação do homem do pecado. A mensagem nestes versos é simplesmente a necessidade da conscientização da nossa realidade de escravos do pecado para que, então, cientes da nossa miserável condição, possamos buscar em Jesus o perdão e a purificação.

Nosso principal objetivo

"Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo." (1° João 2:1)

Não podemos de forma alguma nos acomodar na condição de escravos do pecado. A mensagem é muito clara.  "Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis." Entre "estas coisas" que o apóstolo João escreveu para que não pequemos estão os versos 8 e 10 de 1°João.  Sendo assim, estes versos não podem ser utilizados para argumentar contra a possibilidade do homem viver livre do pecado. Não podemos continuar arrumando desculpas para o pecado.  Nosso objetivo diante de tudo que o Senhor disponibiliza para nos libertar deve ser sempre, não pecar.
Em nossa caminhada rumo à libertação do pecado, nosso maravilhoso Deus providenciou meios para que quando pecamos, possamos em Jesus obtermos o perdão. Mas novamente lembramos que não podemos nos acomodar no pecado devido o fato de termos a Jesus como nosso advogado. Jesus não atua como advogado para aqueles que estão acomodados ao pecado. Jesus intercede somente por aqueles que estão na caminhada rumo à plena libertação do pecado. Ao pecarem confessam a Deus sentindo o verdadeiro arrependimento e continuam com o propósito de serem totalmente libertados do pecado. "Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo." (1° João 2:1)  Nosso principal objetivo deve ser sempre não pecar. Viver sem pecar.

"Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor." Romanos. 6:23
Algumas pessoas ainda têm afirmado que o que não podemos é pecar de "forma habitual,"  não podemos ser "pecadeiros."  Se esse tipo de afirmação for  realmente verdadeira nós precisamos então reescrever Romanos 6:23.  "Porque o salário do pecado [Habitual] é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor."
Uma questão muito importante a ser considerada: Será que podemos nos contentar em ter como objetivo eliminar em nossa vida apenas o pecado habitual?  Será que podemos afirmar que o pecado ocasional não tem também como salário a morte?
A verdade é que pecado tanto habitual como ocasional procede do diabo e ambos conduzem a morte. Portanto devemos ter como objetivo, pelo poder de Deus, eliminar qualquer tipo de pecado em nossa vida. Devemos pensar no pecado como sendo uma doença que resulta em morte. Enquanto tivermos alguma quantidade, mesmo que pequena, desta doença em nós, estaremos condenados à morte. Apenas um pecado contamina todo o ser e torna o homem "instrumento de injustiça".
"Se um pecado é nutrido na alma, ou uma prática errônea conservada na vida, todo o ser é contaminado. O homem torna-se instrumento de injustiça." DTN, pág.313
Alguém pode dizer: Mas Cristo veio salvar pecadores! Sim, isso realmente é verdade. Mas é bom lembrar que Cristo veio salvar pecadores dos seus pecados:

"Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles." (Mateus 1:21)



Participe! Deixe seu comentário sobre este post e compartilhe

Nenhum comentário:

Postar um comentário