PUBLICIDADE

QUEBRA

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Os Santos podem interceder por nós, se Cristo é o único Mediador?

Os Santos podem interceder por nós, se Cristo é o único Mediador?
Os Santos podem interceder por nós, se Cristo é o único Mediador?
Leia alguns artigos anteriores publicadas AQUI

Antes de abordar a questão da intercessão dos santos, precisamos fazer uma pergunta que é pertinente a todos os cristãos: Se Cristo é o único Mediador, por que nós intercedemos uns pelos outros? Esta reflexão deve ser feita e ponderadamente avaliada para que o entendimento das doutrinas a serem discutidas abaixo seja facilitado.

FATOS BÍBLICOS A SEREM CONSIDERADOS:

  1. Cristo é o único mediador entre os homens e Deus. (Timóteo 2:5)
  2. A Igreja é o Corpo de Cristo, no qual é a Cabeça. (Colossenses 1:18)
  3. Jesus é o 'Eterno Sacerdote'. (Hebreus 7:14)

A resposta católica:

Os católicos não discordam de qualquer um dos fatos expostos acima, que são verdade bíblicas. No entanto, a Igreja lê as Escrituras como um todo, e interpreta-as como livro inteiro. O entendimento da Bíblia não pode se dar de outra forma...

A compreensão católica é que, embora Cristo seja o único mediador; Sua Igreja, enquanto membros do Seu Corpo, também são membros deste "Um mediador" e em "vivendo um amor autêntico, cresceremos sob todos os aspectos em direção a Cristo, que é a Cabeça. Ele organiza e dá coesão ao Corpo inteiro, através de uma rede de articulações, que são os membros, cada um com a sua atividade própria, para que o corpo Cresça e se construa a si próprio no amor." (Efésios 4:15-16)

Jesus é o Sumo e Eterno Sacerdote e a Igreja, como membros do Seu Corpo, compartilha das ações desse sacerdócio. É por isso que São Pedro, em uma clara referência ao sacerdócio do Antigo Testamento – onde os sacerdotes eram intercessores entre Deus e os homens – declarou que aos seguidores de Cristo é conferido um sacerdócio santo (1 Pedro 2:5 e 2:9), pois estamos unidos a Ele como membros do Seu Corpo. O livro de Apocalipse 1:6 diz que somos “um reino de sacerdotes de Deus, seu Pai.” Assim, como Mediador, Jesus não está sozinho. Ele é o Cabeça da Igreja na qual todos os membros podem interceder uns pelos outros através Dele.
Esta é a noção de Totus Christus, uma teologia bíblica do Cristo inteiro que é confirmada pelo relato bíblico da conversão de Paulo em Atos 9:4, onde Jesus pede a Paulo, então Saulo: "Saulo, Saulo, por que me persegues?" ao invés de "Por que persegues aos meus seguidores?" – Sua Igreja.

Mas e os Santos falecidos?

Vimos que os membros vivos da Igreja podem, efetivamente, orar uns pelos outros, mas como podemos explicar a intercessão dos santos falecidos?

A Igreja Católica ensina a respeito da comunhão dos santos, isto é, toda a Igreja é uma só em Cristo.

Os membros falecidos do Corpo de Cristo não são separados de Cristo quando eles deixam seus corpos físicos, pois "se Cristo está em vós, embora o corpo esteja morto por causa do pecado, o espírito é vida por causa da justiça" (Rm 8:10 ).  São Paulo afirma que "nem […] a morte nem a vida será capaz de nos separar do amor de Deus em Cristo Jesus, nosso Senhor." (Rm 8, 38-39). Portanto, as almas dos santos nunca se afastam ou deixam de ser parte do Seu Corpo. Elas fazem, na verdade, parte do Corpo de Cristo ou da Igreja no Céu, a Igreja Triunfante.
Uma vez no céu, os santos podem interceder pelos membros da Igreja na Terra, a Igreja militante. A Bíblia confirma que os santos do céu oram a Deus:
Quando ele abriu o quinto selo, vi debaixo do altar as almas daqueles que tinham sido mortos por causa da palavra de Deus e pelo testemunho que deram. Eles clamavam em alta voz: “Ó Soberano Senhor, santo e verdadeiro, quanto tempo antes de julgar e vingar o nosso sangue nos que habitam sobre a terra?” (Apocalipse 6: 9-10)

Autor: Hellen



Se possível, me ajudem a divulgar este conteúdo em suas redes sociais. Comentários são bem-vindos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário