PUBLICIDADE

QUEBRA

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Como a morte de Jesus pode salvar você

Como a morte de Jesus pode salvar você
Como a morte de Jesus pode salvar você
HÁ QUASE 2 mil anos, na Páscoa judaica de 33 EC, um homem inocente morreu para que outros pudessem viver. Quem era esse homem? Era Jesus de Nazaré. E quem pode se beneficiar desse ato nobre? A inteira raça humana. Um texto bíblico bem-conhecido resume esse sacrifício que salva vidas da seguinte forma: "Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." — João 3:16, Almeida, revista e corrigida.

Embora muitos conheçam esse texto, poucos realmente entendem o seu significado. Eles se perguntam: ‘Por que precisamos do sacrifício de Cristo? Como a morte de um homem pode salvar a humanidade da condenação à morte eterna?’ A Bíblia dá respostas claras e satisfatórias a essas perguntas.

Como a morte passou a dominar a raça humana

Algumas pessoas acreditam que os humanos foram criados para viver por um curto período na Terra, passar por provações, ter momentos felizes e daí morrer e ir para um lugar melhor. Segundo esse conceito, a morte faz parte do propósito de Deus para o homem. A Bíblia, porém, mostra que a morte aflige os humanos por outro motivo. Ela diz: "Por intermédio de um só homem entrou o pecado no mundo, e a morte por intermédio do pecado, e assim a morte se espalhou a todos os homens, porque todos tinham pecado." (Romanos 5:12) Esse texto mostra que as pessoas morrem por causa do pecado. Mas quem é o "um só homem" por meio do qual os efeitos mortíferos do pecado contaminaram a raça humana?

Conforme observa a The World Book Encyclopedia, a maioria dos cientistas crê que todos os humanos descenderam da mesma fonte, e a Bíblia identifica claramente essa fonte — o "um só homem". Em Gênesis 1:27 lemos: "Deus passou a criar o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou." Portanto, a Bíblia diz que o primeiro casal humano foi o ponto alto da criação do Deus Todo-Poderoso.

O livro de Gênesis dá mais detalhes de como era a vida humana depois de Jeová Deus ter criado o primeiro humano. É digno de nota que nesse relato inteiro a única referência que Deus fez à morte foi como conseqüência da desobediência. (Gênesis 2:16, 17) Ele queria que os humanos vivessem num belo paraíso na Terra, felizes e saudáveis para sempre. Não queria que eles sofressem os efeitos da velhice e por fim a morte. Então, como é que a morte passou a dominar a raça humana?

O capítulo 3 de Gênesis relata que o primeiro casal humano decidiu intencionalmente desobedecer ao seu Dador da Vida, Jeová Deus. Em resultado disso, Deus executou a sentença que tinha proferido antes. Ele disse ao homem: "Tu és pó e ao pó voltarás." (Gênesis 3:19) E, de fato, conforme Deus falou, os dois humanos desobedientes por fim morreram.

Mas não foi só o primeiro casal que sofreu as conseqüências. Sua desobediência arruinou a perspectiva de vida perfeita que seus descendentes teriam usufruído. Jeová incluiu no seu propósito os humanos que ainda nasceriam quando disse a Adão e Eva: "Sede fecundos e tornai-vos muitos, e enchei a terra, e sujeitai-a, e tende em sujeição os peixes do mar, e as criaturas voadoras dos céus, e toda criatura vivente que se move na terra." (Gênesis 1:28) Com o tempo, a família humana encheria a Terra e teria uma vida muito feliz, sem morrer. Mas o seu antepassado Adão — o "um só homem" — vendeu os humanos como escravos ao pecado, resultando na morte como fim inevitável. O apóstolo Paulo, descendente do primeiro homem, escreveu: "Eu sou carnal, vendido sob o pecado." — Romanos 7:14.

Assim como vândalos danificaram valiosas obras de arte em tempos recentes, Adão, por pecar, danificou seriamente a maravilhosa criação de Deus — a humanidade. Os filhos de Adão tiveram seus próprios filhos, depois netos, e assim por diante. Cada geração sucessiva nasceu, cresceu, teve filhos e então morreu. Por que todas essas gerações morreram? Porque todas elas descenderam de Adão. A Bíblia afirma: "Pela falha de um só homem muitos morreram." (Romanos 5:15) A doença, a velhice, a tendência de fazer o que é errado e até mesmo a morte são as tristes conseqüências de Adão ter traído sua própria família. Essa família inclui todos nós.

Na sua carta aos cristãos em Roma, o apóstolo Paulo escreveu sobre a situação lastimável de humanos imperfeitos, incluindo ele mesmo, e a luta frustrante contra os efeitos do pecado. Ele exclamou: "Homem miserável que eu sou! Quem me resgatará do corpo que é submetido a esta morte?" Uma boa pergunta, não acha? Quem resgataria Paulo — e todas as pessoas que assim o desejassem — da escravidão ao pecado e à morte? O próprio Paulo deu a resposta: "Graças a Deus, por intermédio de Jesus Cristo, nosso Senhor!" (Romanos 7:14-25) De fato, o nosso Criador fez provisões para nos resgatar por meio de seu Filho, Jesus Cristo.

Deus resgata a humanidade por meio de Jesus

Jesus descreveu o seu papel em resgatar a humanidade da escravidão mortífera ao pecado. Ele disse: ‘O Filho do Homem veio para dar a sua vida em resgate de muitos.’ (Mateus 20:28, Al, revista e corrigida) Como a vida de Jesus serve de resgate? E como a sua morte nos beneficia?

A Bíblia descreve Jesus como alguém "sem pecado" e "separado dos pecadores". Durante toda a sua vida, ele obedeceu perfeitamente a Lei de Deus. (Hebreus 4:15;7:26) Portanto, a sua morte não foi em conseqüência do pecado e da desobediência, como no caso de Adão. (Ezequiel 18:4) Na verdade, Jesus aceitou uma morte que não merecia para que pudesse cumprir a vontade de seu Pai de resgatar a humanidade do pecado e da morte. Como já mencionado, Jesus veio voluntariamente para "dar a sua vida em resgate". Em toda a história, ninguém jamais demonstrou tanto amor como Jesus que, de bom grado, 'provou a morte por todo homem'. — Hebreus 2:9.

A vida que Jesus sacrificou equivalia exatamente à que Adão perdeu quando pecou. Qual foi o resultado da morte de Jesus? Jeová aceitou esse sacrifício como "resgate correspondente por todos". (1 Timóteo 2:6) Em outras palavras, Deus usou o valor da vida de Jesus para recuperar, ou libertar, a raça humana da escravidão ao pecado e à morte.

A Bíblia fala muitas vezes dessa grande demonstração de amor feita pelo Criador do homem. Paulo lembrou aos cristãos que eles foram "comprados por um preço". (1 Coríntios 6:20; 7:23) Pedro escreveu que Deus não usou ouro nem prata, mas o sangue do seu Filho para libertar os cristãos do cativeiro à morte. (1 Pedro 1:18, 19) Com o sacrifício de resgate de Cristo, Jeová providenciou a libertação dos humanos, que estavam destinados à morte eterna.

Você se beneficiará do resgate de Cristo?

A respeito do grande alcance dos benefícios do resgate de Cristo, o apóstolo João escreveu: "[Jesus Cristo] é um sacrifício propiciatório pelos nossos pecados, contudo, não apenas pelos nossos, mas também pelos do mundo inteiro." (1 João 2:2) De fato, o resgate de Cristo está disponível a toda a humanidade. Será que isso significa que todos serão automaticamente beneficiados por essa inestimável provisão? Não. Lembre-se do resgate mencionado no artigo anterior. A equipe que trabalhou para salvar os mineradores desceu uma gaiola até onde eles estavam, mas era preciso que cada homem entrasse nela. De modo similar, os que desejam se beneficiar do sacrifício de resgate de Cristo não podem simplesmente esperar pela bênção de Deus. Eles precisam agir.

Que ação Deus requer? João 3:36 nos diz: "Quem exerce fé no Filho tem vida eterna; quem desobedece ao Filho não verá a vida, mas o furor de Deus permanece sobre ele." Deus requer que tenhamos fé no sacrifício de Cristo. E quer ainda mais. "Por meio disso temos o conhecimento de que chegamos a conhecê-lo [Jesus], a saber, se continuarmos a observar os seus mandamentos." (1 João 2:3) Portanto, fica claro que a chave para sermos resgatados do pecado e da morte é termos fé no resgate de Cristo e obedecermos aos seus mandamentos.

Um modo importante de demonstrar fé no resgate de Jesus é mostrar apreço pela morte dele por comemorá-la, como ele ordenou. Antes de morrer, Jesus instituiu com seus apóstolos fiéis uma refeição simbólica e lhes disse: "Persisti em fazer isso em memória de mim." (Lucas 22:19) As Testemunhas de Jeová dão muito valor à sua amizade com o Filho de Deus e obedecem a esse mandamento. Este ano, a Comemoração da morte de Jesus Cristo será realizada no sábado, 22 de março, após o pôr-do-sol. Nós o convidamos cordialmente para assistir a essa reunião especial em obediência ao mandamento de Jesus. As Testemunhas de Jeová na sua localidade podem lhe informar o local e a hora desse evento. Nesta Comemoração, aprenderá mais sobre o que precisa fazer para que o resgate de Cristo possa livrar você dos efeitos mortíferos do pecado de Adão.

Poucas pessoas hoje têm pleno apreço pelo grande sacrifício que o Criador e Seu Filho fizeram para salvá-las da destruição. As que exercem fé nesse sacrifício têm uma fonte especial de felicidade. O apóstolo Pedro escreveu a respeito dos seus companheiros cristãos: "Exerceis fé [em Jesus] e vos alegrais grandemente com indizível e glorificada alegria, recebendo o objetivo da vossa fé, a salvação das vossas almas." (1 Pedro 1:8, 9) Por desenvolver amor a Jesus Cristo e fé no seu sacrifício de resgate, você pode sentir muita alegria hoje e aguardar ansiosamente ser salvo do pecado e da morte.




Se possível, me ajudem a divulgar este conteúdo em suas redes sociais. Comentários são bem-vindos.